Buscar
  • Psicóloga Samya Sales

Gestalt-terapia???

Acredito que muitos de nós quando lemos essa palavra ligamos rapidamente a mais um tipo de terapia em meio a tantas outras. Sim, de fato isso é bem verdade. Mas o que a Gestalt-terapia tem de especial que mereça um espaço para ser explicada?

Bem, a Gestalt-terapia é um modelo de psicoterapia humanística que veio ser uma alternativa aos demais métodos existentes que carregam um perfil mais, como posso dizer... "médico".

Ao longo dos tempos, as diversas linhas teóricas que iam surgindo, se concentravam mais nos aspectos negativos do indivíduo. Aspectos que rotularam Patologias, ou comumente chamado, "doenças". No entanto, com o despertar da Psicologia Humanista - considerada a 3ª força da psicologia - novos modelos de psicoterapias começaram a surgir. Modelos que consideravam não as doenças patológicas em si, mas os problemas existenciais do homem.

O desenvolvimento das potencialidades humanas, sua maneira de se comunicar, de se relacionar, passaram a ser foco de investigação dessas novas perspectivas psicoterápicas. A comunidade da psicologia científica da época assistia de perto o desenvolvimento de teorias que transferiam o foco dos aspectos negativos do sujeito para os positivos, pois já não era mais suficiente apenas retirar o sofrimento neurótico, precisava-se encontrar também, realização pessoal, felicidade e bem-estar mental e físico.

Dentre esses novos modelos se encontrava a Gestalt-terapia, que parte do conceito de que o contexto do indivíduo interfere na sua experiência de vida. Logo, para que possamos compreender o modo de ser do sujeito precisamos compreender como ele encara a vida, como se relaciona, ou seja, compreender o seu contexto, essas dimensões de sua existência.

Como Edmund Husserl, um filósofo fenomenologista alemão costumava dizer: "Não há originalidade plena na construção de qualquer linha teórica. Todo pensamento é dedicado aos que os antecederam. Então, o que faz uma nova abordagem, hoje, ter o seu valor? - A nova perspectiva sobre o dado tema que ele traz.

A nova perspectiva gestáltica bebeu em muitas fontes! foi alimentada pelas principais correntes teóricas que se ramificaram desde o movimento psicanalítico inicial. Por isso tem fortes raízes na psicanálise freudiana, assim com possui uma vasta bagagem fundamentada na fenomenologia, no existencialismo dialógico, no holismo, na própria psicologia da gestalt (que se diferencia da Gestalt-terapia) e, também no comportamentalismo.

A perspectiva comportamental acredita que o único critério válido é o comportamento observável. Enquanto a fenomenologia considera tudo o que está no íntimo do ser humano: suas sensações, percepções, suas cognições e, claro, tudo o que influencia na sua vivência. Entretanto, devido a dificuldade de se expressar os processos internos, a Gestalt-terapia unificou essas duas posições, conectando aos demais conceitos teóricos das outras abordagens já mencionadas.

E qual o motivo de toda essa fusão? criar um conjunto de conceitos que seja mais efetivo no preenchimento das necessidades humanas, pois a Gestalt-terapia acredita ser este, o caminho para a resolução das questões que perturbam o homem, que o adoece e bloqueia seu desenvolvimento, impedindo-o de alcançar sua felicidade e bem-estar. Pois entramos em tão grande conflito que a certa altura, nos tornamos duvidosos de entender o que é ser uma pessoa "saudável" em nossa sociedade atual, intensamente alienada.

Por fim, há muito o que ser explorado quanto a terapia gestáltica, que não cabe em um único post. O intuito foi apenas desvendar as bases dessa tão incrível perspectiva, lhes apresentar seu foco de análise e como pode contribuir para sua vida!



17 visualizações

©2020 por Psicoterapia Online (Gestalt-terapia). Orgulhosamente criado com Wix.com